Com sede em Sevilha, o berço do Flamenco

Pablo Ruben Maldonado

Com apenas quatro anos começou a dar os seus primeiros passos no mundo da música sob a orientação do seu pai. Estudou no Victoria Eugenia Musical Conservatory, em Granada, a fim de continuar os seus estudos musicais com professores como Chano Dominguez. Como músico de uma família cigana, profundamente enraizada na arte do flamenco, teve a oportunidade de colaborar com artistas de tão prestígio como: Farruquito, La Farruca, Rafaela Carrasco, AndresMarin e Marina Heredia.

Pablo sempre teve um profundo amor pela dança e graças ao seu projeto, “Almanjayar”, teve o privilégio de trabalhar com quase todos os bailarinos de Madrid, tais como: Olga Pericet, Marcos Flores, BelenLópez e La Talegona. Já se apresentou em alguns dos mais importantes teatros e festivais internacionais como: A Bienal de Flamenco de Sevilha, o Festival de Jerez, o Festival de Flamenco de Helsinquia, o Chaillot de Paris, a Bienal de Roma, a Bienal de Buenos Aires, e o Festival de Flamenco de Moscovo, entre outros.

 

“Poderia ser a essência do seu espírito, ou simplesmente a sua presença na terra, não tenho certeza, mas Pablo“vende”algo muito mais do que um ‘Sol menor’, 3⁄4 ou apenas um som puro… há algo mais, pode ouvir o espírito dele emanando diretamente da sua música. ”Jorge Prado, saxofonista, flautista e compositor.

“Este artista de Granada é atualmente um dos melhores pianistas de Flamenco.” Jacinto Gonzalez, Aire Flamenco

“Um dos pianistas mais importantes do seu género, em termos de evolução musical e projeção para o futuro.” M. RÍOS Ruiz, ABC

“A fusão do flamenco e do jazz por um pianista de Granada não é novidade, mas as composições de Maldonado levam-oa um novo patamar” Paula Durbin, Washington Post

“O formato de concerto solo, que inclui a sua própria voz de assinatura, é o epítome do piano flamenco. (…) Ele é o intérprete ideal da franqueza ingénua que as suas letras nos trazem e entregou-as brilhantemente. No entanto, a melhor característica de Maldonado são as suas mãos, e ele sabe disso. Tem a capacidade de inventar algumas das mais diversas melodias …. Foi, portanto, uma espécie de concerto de Köln ou de Jondo. Uma espécie de “cravo bem temperado” ou um “Maldonado bem temperado”. Assim como Jarrett e Gould, Maldonado canta, cantarola, liberta as suas emoções e deixa que as suas melodias o levem embora. ”JuanVergilios, Diario de Sevilla.

Pode também gostar

Sergio Monroy

Manolo Carrasco

Dani De Moron

Manuel De La Luz

Espetáculos

Ballets

Comtemporâneo

Bailarinos

Guitarristas

Pianistas

Cantores

Eventos

Cruzeiros

This website is using cookies to improve the user-friendliness. You agree by using the website further. Privacy policy